Retratos de Cézanne

IMG_0030.JPGUma após outra, as personagens modelo sucedem-se nas salas do quinto andar do Museu d`Orsay, em Paris. Uma exposição interessante, a atrair turistas sem conta, de todos os quadrantes e proveniências: „Portraits de Cézanne“, Retratos de Cézanne. O pintor francês (1839-1906) não pintou só casas de aldeia e paisagens. Desde muito cedo se dedicou a pintar retratos de familiares e amigos, e muitas vezes de si mesmo.

Retratos de pessoas que se dispuseram ou desejaram ser retratadas e assim se colocaram ali, diante do pintor,  como se o tempo estivesse parado. As personagens tinham o tempo todo do mundo, para sentar-se e deixar-se retratar. Algumas aproveitavam para ler: „Madame x de livro na mão“. Outras para consertar a roupa: „Madame x a coser“. Mas a maioria dos retratados nada mais faz que estar aí. O tempo necessário. Sem pressas nem limites de tempo. Parece que o tempo, nessa altura, dava para tudo…

Hoje corremos todo o tempo, a tempo e a contra-tempo. De casa para o trabalho, no trabalho  de tarefa para tarefa, do trabalho para os tempos „livres“ que nos ocupam forçosamente !!  Connosco, hoje, Cézanne não teria a mínima „chance“ de nos retratar. À segunda pincelada das suas  cores fortes e amontoadas, já não estávamos lá… Quando muito, Cézanne podia fotografar-nos, se tivesse à mão um dos nossos „smart phones“…

O que ficará da nossa geração para os museus do futuro? Que retrato? Que vestígio?

Jn
Paris, 15.06.2017

„A leitura do modelo e a sua compreensão às vezes o artista precisa de tempo para os  obter“ (Paul Cézanne, 1904)

Advertisements

Über nunes2013

Sou assistente pastoral numa comunidade católica de língua portuguesa. Depois de nos últimos três anos (2013-2016) ter publicado reflexões sobre os evangelhos de domingo (que continuam aqui disponíveis), passarei a partir de agora a escrever pequenos comentários à 1ª leitura do domingo (quase sempre do Primeiro Testamento). Por necessidade e por opção, gosto de reflectir semana a semana os textos que nos são propostos para as celebrações dominicais. Esforço-me por partilhar a minha reflexão aqui, nesta página, à terça-feira. Para além disso, escrevo sobre temas relacionados com e/imigração e sociedade multicultural. O meu nome: Joaquim A Marques Nunes. A minha sigla: jn (Não escrevo segundo as normas do novo acordo ortográfico!).
Dieser Beitrag wurde unter ao jeito de poema, Uncategorized abgelegt und mit , , verschlagwortet. Setze ein Lesezeichen auf den Permalink.

Kommentar verfassen

Trage deine Daten unten ein oder klicke ein Icon um dich einzuloggen:

WordPress.com-Logo

Du kommentierst mit Deinem WordPress.com-Konto. Abmelden / Ändern )

Twitter-Bild

Du kommentierst mit Deinem Twitter-Konto. Abmelden / Ändern )

Facebook-Foto

Du kommentierst mit Deinem Facebook-Konto. Abmelden / Ändern )

Google+ Foto

Du kommentierst mit Deinem Google+-Konto. Abmelden / Ändern )

Verbinde mit %s