Jonas

Jona Katakomben

A propósito do texto proposto como primeira leitura para este domingo, III Domingo Comum B: Jonas 3,1-5.10

Que belo conto bíblico, este pequeno livro de Jonas!
Escrito no pos-exílio, no tempo de Esdras e Neemias, o livro de Jonas tem uma mensagem cheia de sentido profético temperado com uma profunda ironia.

Deus mandou Jonas a Nínive. Nínive não era uma cidade qualquer. Era a capital dos Assírios. Era o símbolo da opressão e da inimizade,  de tudo o que povo de Israel por lá sofrera em 60 anos de cativeiro. E é para lá que o Deus de Israel envia o “pobre” profeta… Será que JaHWeH  acredita mesmo que daquela cidade se pode fazer alguma coisa? E não é JaHWeH o Deus (só) de Israel?

Esse tempo de Esdras e Neemias era o início de uma nova fase na história de Israel, claramente nacionalista, com uma visão elitista da salvação.  Quem era contra Israel era contra Deus. E quem era contra Deus não “merecia” salvação.

Este livrinho de carácter didático, num género literário de uma „novela“ ou conto, e que na Bíblia conhecemos pelo nome de “Livro de Jonas”, apresenta uma outra visão: JaHWeH é o Deus universal,  a Sua salvação destina-se a todos os povos e nenhum será excluído, nem mesmo o povo de Nínive, “grande cidade aos olhos de Deus”.

Conhecemos o resto da história. Jonas tenta fugir à tarefa que Deus lhe confiou, tomando um navio que se dirigia para ocidente (no sentido oposto). Um peixe salva-o do afogamento para o reconduzir ao ponto de partida. Contrariado, Jonas vai a Nínive. A sua pregação não é de muitas palavras. Nem têm nada de boa nova, só ameaça. E não é que os ninivitas mesmo assim se convertem e “imediatamente” reagem com iniciativas de conversão?!

Jonas, em vez de se alegrar, resmunga com Deus.  Jonas é “um teimoso que queria ensinar a Deus como se fazem as coisas” .   E “os teimosos de alma, rígidos, não entendem o que é a misericórdia de Deus” (Papa Francisco, homilia na missa de 10.10.2017).  Afinal, ele pregava a ameaça de destruição, mas Deus que o enviou antes de pensar em castigo sempre pensou que Nínive iria ser testemunho da Sua misericórdia.

Conhecemos bem esses padres e pregadores de ameaças, de moral sem misericórdia. Esses que pretendem ditar a Deus o castigo que Ele deve aplicar a quem não cumpre.
Conhecemos bem essa visão nacionalista da salvação: „nós“ somos os eleitos; os „outros“ – os diferentes – não têm salvação possível. Por isso nem vale a pena gastar tempo com eles. E os outros são todos esses que nós não aceitamos como sendo dos “nossos” ou como sendo “prevaricadores”.  Uma visão universalista, aberta, generosa e misericordiosa da salvação de Deus como a quer o Papa Francisco poderá abrir à Igreja novas perspectivas. Importante é que os cristãos de hoje não se recusem a ir e a entrar  nas muitas Nínives do nosso tempo, na esperança da mudança.

jn
 

Advertisements

Über nunes2013

Sou assistente pastoral numa comunidade católica de língua portuguesa. Depois de ao longo de três anos (2013-2016) ter publicado reflexões sobre os evangelhos de domingo (que continuam aqui disponíveis), escrevo agora semanalmente pequenas reflexões a partir do texto bíblico da 1ª leitura do domingo (quase sempre do Primeiro Testamento). Por necessidade e por opção, gosto de reflectir semana a semana os textos que nos são propostos para as celebrações dominicais. Esforço-me por partilhar a minha reflexão aqui, nesta página, à terça-feira. Para além disso, escrevo sobre temas relacionados com e/imigração e sociedade multicultural. O meu nome: Joaquim A Marques Nunes. A minha sigla: jn (Não escrevo segundo as normas do novo acordo ortográfico!).
Dieser Beitrag wurde unter actualidade, Uncategorized abgelegt und mit , verschlagwortet. Setze ein Lesezeichen auf den Permalink.

Kommentar verfassen

Trage deine Daten unten ein oder klicke ein Icon um dich einzuloggen:

WordPress.com-Logo

Du kommentierst mit Deinem WordPress.com-Konto. Abmelden /  Ändern )

Google+ Foto

Du kommentierst mit Deinem Google+-Konto. Abmelden /  Ändern )

Twitter-Bild

Du kommentierst mit Deinem Twitter-Konto. Abmelden /  Ändern )

Facebook-Foto

Du kommentierst mit Deinem Facebook-Konto. Abmelden /  Ändern )

w

Verbinde mit %s