Archiv der Kategorie: ao jeito de poema

10 de Junho. Dia de Portugal

Canto este pais elegante entre Castela e o mar terra de gente que veio e quis ficar Porto de fenícios gregos e romanos Tenda de celtas iberos e visigodos Templo de judeus cristãos e muçulmanos Canto este país pequeno com … Weiterlesen

Veröffentlicht unter ao jeito de poema, Uncategorized | Verschlagwortet mit , | Kommentar hinterlassen

Santíssima Trindade

Santíssima Trindade Comunhão indivisível da unidade e da diversidade União sem fusão da identidade e da diferença Presença na proximidade e na distância Santíssima Trindade Deus Criador do sonho antes do tempo Deus Logos contemporâneo da existência Deus Espírito futuro … Weiterlesen

Veröffentlicht unter actualidade, ao jeito de poema, Uncategorized | Verschlagwortet mit | Kommentar hinterlassen

Outono

  Na folha que cai da árvore dançando lentamente ao ritmo do verão que se despede dominam as cores da saudade No adeus forçado ou aceite docemente na tristeza sempre adiada da partida correm lágrimas em seco Na menina-dos-olhos transparente … Weiterlesen

Veröffentlicht unter ao jeito de poema, Uncategorized | Verschlagwortet mit , , , | Kommentar hinterlassen

Praia de Peniche

A cidade deita-se na areia exposta ao céu azul como um corpo de sereia Corajosa, a muralha enfrenta o mar Ora resistindo ora cedendo e por ele se deixa beijar ondas de azul e branco convidam para encontros eróticos as rochas … Weiterlesen

Veröffentlicht unter ao jeito de poema, Uncategorized | Verschlagwortet mit , , | 1 Kommentar

Mértola

O sol queima as pedras que os romanos talharam e o calor entra a pique nas casas mouras outrora de paredes frescas sem janelas hoje postas a descoberto por arqueólogos curiosos e persistentes o casario branco disputa um lugar seguro … Weiterlesen

Veröffentlicht unter ao jeito de poema, Uncategorized | Verschlagwortet mit , | Kommentar hinterlassen

29 de Junho: dia mundial do abraço

Abraço?! Juntar-se e apertar-se com os braços que envolvem sem estrangular apertam sem magoar dão-se a sentir sem impor O „amplexar“ do latim deu em abraçar sem „complexar“ sem compexos nem de domínio ou superioridade nem de subjugação em inferioridade mas … Weiterlesen

Veröffentlicht unter ao jeito de poema, Uncategorized | Verschlagwortet mit , | Kommentar hinterlassen

La Gioconda, Louvre

Passou o controle de segurança adquiriu bilhete a preço considerável subiu escadas percorreu a passos acelerados o „salon carré“ e aí está uma multidão admirável diante dessa mulher de enigmático sorriso olhares de frente e de trás fotografias de todos … Weiterlesen

Veröffentlicht unter ao jeito de poema, Uncategorized | Verschlagwortet mit , | Kommentar hinterlassen